Lago, lagoa e laguna


As palavras lago e lagoa são comumente utilizadas como sinônimos, uma vez que ainda não há uma distinção oficial entre estes dois acidentes geográficos. Já a laguna é uma extensão de água salobra ou salgada muito próxima da costa e ligada, através de um canal, ao mar ou oceano.

Apesar de não haver uma diferença oficial entre lago e lagoa, é normalmente utilizada a palavra lago para grandes extensões de água.

Um exemplo são os Grandes Lagos da América do Norte, entre os Estados Unidos e o Canadá. Já a lagoa seria um corpo de água doce menor, como exemplo pode-se citar a Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro.

No Brasil, a Lagoa dos Patos no Rio Grande do Sul é uma laguna, por ser ligada ao Oceano Atlântico através de um canal ao sul da extensão aquática. Mesmo que tenha o nome de “Lagoa dos Patos”, é considerada pela geografia uma laguna.

O que é um lago?

As diferenças entre lago e lagoa não são claras e não há uma distinção oficial entre os dois acidentes geográficos. Entretanto, é comum que a palavra “lago” seja utilizada para designar uma grande extensão de água doce.

Para ser denominado lago, a depressão sobre a qual se forma precisa estar coberta de água de forma permanente. Esta água poderia ser originada da chuva, vinda de rios e afluentes que desaguam na depressão ou até mesmo resultado do derretimento de geleiras e glaciares.

Em locais em que a água evapora rapidamente, os lagos podem se tornar salgados e ganharem os nomes de mares. Exemplos deste tipo de lago são o Mar Morto e o Mar Cáspio, que estão localizados em regiões quentes e, por isso, a evaporação acontece de maneira mais rápida, resultando na salinização da água.

Tipos de lagos

Existem oito tipos de lagos, classificados de acordo com suas características:

  • Lagos tectônicos: água acumulada em deformações na crosta terrestre;
  • Lagos de origem vulcânica: vulcões extintos em que as caldeiras, então crateras, são cobertas por água, pela chuva ou derretimento de gelo;
  • Lagos residuais: hoje em dia ainda chamados de mares, como o Mar Morto;
  • Lagos de depressão: uma depressão é um relevo irregular, em que algumas partes do solo são mais baixas que outras e, quando a água se acumula nestes locais, formam lagos;
  • Lagos de origem mista: é o resultado da combinação de diversos fatores, que garantem o represamento da água e, assim, dão origem a um lago;
  • Lagos de origem glacial: foram formados quando os glaciares da última Era do Gelo derreteu. Acredita-se que os Grandes Lagos da América do Norte sejam resultado do derretimento de glaciares;
  • Lagos artificiais: quando são construídos por humanos ao represar a água em determinados locais para o acúmulo e utilização em diversos fins;
  • Lagos de passagem: são lagos atravessados por um rio, o fluxo de água forma um lago devido às características do terreno pelo qual o rio passa.

Exemplos de lagos

  • Grandes Lagos da América do Norte, entre os Estados Unidos e o Canadá:
    Lago Superior, Lago Michigan e Lago Hurun;
  • Lago Vitória, na África, entre o Quênia, a Tanzânia e a Uganda;
  • Lago Titicaca, na América do Sul, entre a Bolívia e o Peru.
A cidade de Chicago às margens do Lago Michigan, nos Estados Unidos
A cidade de Chicago às margens do Lago Michigan, nos Estados Unidos

O que é uma lagoa?

A principal diferença entre um lago e uma lagoa é o tamanho. Um lago é um corpo de água maior, enquanto uma lagoa pode ter alguns metros a alguns quilômetros de diâmetro. No entanto, não há consenso entre os cientistas sobre a verdadeira distinção entre um lago e uma lagoa.

Na Convenção sobre as Zonas Úmidas de Importância Internacional, ficou firmado que uma lagoa não ultrapassaria a área de 8 hectares. Porém, a controvérsia sobre a distinção ainda é algo em debate. Há corpos de água que ultrapassam e muito os 8 hectares firmados na convenção e ainda assim são chamados de lagoas.

Apesar da aparência de um corpo d’água estagnado, existe fluxo de água em uma lagoa, mas muito pequeno, geralmente derivado de uma nascente, o que pode gerar um ecossistema de seres e plantas único.

Além disso, as correntes em uma lagoa são geradas pela temperatura da água e pelo vento, portanto são chamadas de “microcorrentezas”.

Com relação à formação das lagoas, atualmente muitas são criadas artificialmente, ou seja, em muitas partes do mundo são construídas pelos humanos. No entanto, qualquer depressão ou acidentes geológicos que permitem o acúmulo de água, seja por uma nascente ou pela chuva, pode formar uma lagoa.

Exemplos de lagoa

  • Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro;
  • Lagoa Azul, nos Lençóis Maranhenses;
  • Lagoa Misteriosa, em Bonito, no Mato Grosso do Sul.
A lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro
A lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro
(Foto: Ana Guimarães / Wikimedia)

O que é uma laguna?

Uma laguna é um corpo de água salobra ou salgada que fica à borda da costa. Desta maneira, é ligada ao mar ou oceano através de um canal. É referido por muitos como um “semilago”, isto porque podem ter grandes extensões, mas não podem ser considerados lagos pela água salgada e a ligação com o mar.

Neste sentido, as lagunas são formadas no estuário de rios ao desaguarem no mar. Mas a acumulação de sedimentos, com o passar do tempo, cria uma barreira que protege as águas tranquilas de uma laguna das ondas.

Isto pode fazer com que, em alguns locais, o volume de sedimentos bloqueie completamente a ligação, criando uma série de lagoas conectadas apenas pelo lençol freático. Entretanto, apesar de uma laguna receber água doce de rios, as marés trazem água salgada através do canal que liga o corpo de água ao mar.

Assim, poucas espécies conseguem sobreviver em tais condições, em que as mudanças na salinidade da água são constantes.

Exemplos de laguna

  • Lagoa dos Patos, no Rio Grande do Sul;
  • Laguna de Veneza, onde fica situada a famosa cidade de Veneza, na Itália.
A Lagoa dos Patos, no Rio Grande do Sul, que é uma laguna, como é vista por satélite
A Lagoa dos Patos, no Rio Grande do Sul, que é uma laguna, como é vista por satélite

Veja também a diferença entre: