Comunismo e anarquismo


Pedro Menezes
Pedro Menezes
Professor de Filosofia

O comunismo e o anarquismo diferenciam-se no modo de alcançar uma sociedade igualitária baseada na ausência de Estado, na livre associação entre pessoas e na extinção da propriedade privada.

Para o comunismo, a construção de uma sociedade sem classes se dá através da intensificação das contradições do capitalismo, dando origem a um processo de transformação do modo de produção. Essa mudança necessita de em um período de transição chamado de socialista.

Já para o anarquismo, o Estado é fundamentado na hierarquização e na coerção, o que impediria a construção de uma sociedade justa e igualitária.

Comunismo Anarquismo
Significado Sistema político, social e econômico fundamentado em uma sociedade sem classes, sem propriedade privada e sem a presença do Estado. Ideologia política revolucionária fundamentada na extinção do Estado para a construção de uma sociedade igualitária, sem hierarquia ou autoridade.
Características Abolição da propriedade privada, das classes sociais e do Estado; internacionalismo e livre associação. Extinção do Estado, abolição de toda forma de autoridade e de coerção; internacionalismo e livre associação.
Principais nomes Marx, Engels, Lenin, Rosa Luxemburgo, Gramsci, Lukács, Franz Fanon, etc. Proudhon, Bakunin, Malatesta, Kropotkin, Emma Goldman, Mary Wollstonecraft, etc.

O que é comunismo?

O comunismo é um sistema social, político e econômico, fundamentado nos princípios desenvolvidos por Karl Marx e Friedrich Engels. O sistema propõe a abolição da propriedade privada e do Estado e o desenvolvimento de uma sociedade sem classes sociais.

foice e martelo e a estrela vermelha são símbolos do comunismo
A foice e o martelo é o principal símbolo do comunismo. Representa a união entre trabalhadores do campo (foice) e da cidade (martelo), a estrela vermelha também é utilizada

Segundo os pensadores do comunismo, a história da humanidade se desenvolve através da luta de classes. Uma classe dominante minoritária controla o modo de produção, se impõe e explora a maioria. A partir do desenvolvimento do capitalismo, a luta de classes assume a forma de um antagonismo entre a burguesia e o proletariado.

O modo de produção é definido com o objetivo de gerar lucro aos proprietários dos meios de produção e, consequentemente, do capital. A dissolução desse modelo parte da tomada de consciência da classe explorada através de um processo de transformação social.

O desenvolvimento do comunismo pressupõe uma fase socialista em que os meios de produção são coletivizados, organizado pelo Estado. Essa fase é marcada também por um processo de educação e abandono dos hábitos construídos pelo capitalismo.

Para algumas correntes do comunismo, como a desenvolvida por Leon Trotsky, essa transição é gradativa, também chamada de “revolução permanente”. Para outras, como marxismo-leninismo, é necessário um processo revolucionário que rompa definitivamente com o sistema capitalista.

A revolução daria início à “ditadura do proletariado”, um período de transição em que as classes sociais continuam existindo. Entretanto, passam a ser definida e controlada pela classe trabalhadora.

O que é anarquismo?

O anarquismo é uma ideologia política baseada na livre associação e no fim de toda forma de hierarquia e autoridade. Diferente do comunismo, o anarquismo propõe que qualquer transformação real da sociedade exige a extinção do Estado.

O prefixo “anarco” é utilizado para afirmar qualquer sistema que seja baseado na ausência de autoridade e na livre associação entre os indivíduos. É também utilizado de forma pejorativa, por associar “anarco” a um modelo caótico e sem regras.

o 'A' e a bandeira negra, símbolos do anarquismo
o "A" e a bandeira negra são símbolos do anarquismo

Para o anarquismo, o Estado cumpre uma função de coerção que impede o progresso rumo a uma sociedade igualitária. Assim, o movimento anarquista afirma a necessidade de criação de um sistema de igualdade imediato, alcançado pela revolução.

Alguns pensadores fundamentais do anarquismo, como Pierre-Joseph Proudhon, desenvolvem a ideia de que o Estado é um mal historicamente necessário.

Assim, a abolição é condição necessária para que os indivíduos possam agir livremente sem que sejam submetidos a uma autoridade externa.

Outros pensadores foram importantes para o desenvolvimento do pensamento anarquista e a construção de algumas correntes do anarquismo:

  • Mikhail Bakunin (anarquismo coletivista)
  • Piotr Kropotkin e Errico Malatesta (anarco-comunismo)
  • Mary Wollstonecraft e Emma Goldman (anarcofeminismo/anarco-sindicalismo)
  • Henry David Thoreau (desobediência civil/anarco-pacifismo)

Veja também as diferenças entre:

Pedro Menezes
Pedro Menezes
Licenciado em Filosofia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e Mestrando em Ciências da Educação pela Universidade do Porto (FPCEUP).