Bolcheviques e mencheviques


Pedro Menezes
Pedro Menezes
Professor de Filosofia

Bolchevique e Menchevique são correntes políticas que existiram dentro do Partido Operário Social-Democrata Russo no começo do século. Bolcheviques é relativo à "maioria" em russo, eram os membros do grupo maioritário. Por oposição, os mencheviques faziam parte grupo minoritário.

Essa divisão ocorreu a partir de diferentes interpretações da obra de Karl Marx, base do socialismo. Para os bolcheviques, a transformação da sociedade se daria a partir da ruptura com o modelo capitalista, a implementação da "ditadura do proletariado" para alcançar a revolução social. Por isso, eram chamados de "duros".

Para os mencheviques, o fim do capitalismo se daria como consequência de um processo contínuo da consciência de classe. Por isso, eram conhecidos como os "brandos".

Bolcheviques Mencheviques
Significado Membros da maioria Membros da minoria
Teses defendidas

Filiação restrita ao partido;
Revolução;
Ditadura do proletariado;
Ruptura com o capitalismo.

Filiação ampla ao partido;
Associação com a burguesia liberal;
Transformação social contínua;
Melhorias do capitalismo até o desenvolvimento do socialismo.

Líder Vladimir Lenin Yuli Martov
Outros membros

Georgi Plekhanov
Leon Trotski (depois de 1917)
Joseph Stalin
Alexandra Kollontai (depois de 1917)
Nikolai Bukharin

Pavel Akselrod
Leon Trotski (em 1903)
Aleksandr Potresov
Alexandra Kollontai (até 1914)
Vera Zasulitch

Duração 1903-1952* 1903-1921

*Ano em que o termo "bolchevique" foi retirado oficialmente do nome do Partido Comunista da União Soviética

Qual a origem dos bolcheviques e mencheviques?

A divisão ocorreu no segundo congresso do POSDR, realizado em Londres e Bruxelas. Nele, os "duros" liderados por Vladimir Ilich Ulianov (Lenin) afirmavam que só poderiam ser membros do partido, pessoas que participavam efetivamente da organização da classe operária.

Enquanto para os "brandos", sob o comando de Yuli Martov, qualquer pessoa que participasse frequentemente das ações organizadas poderia se tornar um membro do partido.

Quando os dois projetos foram votados, uma parte dos apoiadores dos "brandos", que correspondia a uma fração "economicista" de inclinação liberal, foi impedida de participar.

Assim, o projeto de Lenin obteve a maioria dos votos. Formaram-se os bolcheviques ("membros da maioria") e os "brandos" tornaram-se os mencheviques ("membros da minoria").

A primeira cisão entre bolcheviques e mencheviques

Os dois grupos dividiam as organizações clandestinas do operariado na Rússia czarista. Lenin, incomodado com a forma que os mencheviques conduziam as ações, propôs a realização do III Congresso do POSDR em 1905. O congresso não contou com a participação dos mencheviques, que preferiram realizar uma conferência paralela.

A partir daí, o grupo liderado por Lenin cindiu com os mencheviques e intensificou as ações de organização operária, que culminaram na primeira revolução ainda em 1905.

O fracasso da revolução e a reunificação entre os grupos

O czar usou seu poder político e econômico para realizar acordos com os setores da burguesia e esses deixaram de apoiar a revolução. Sem parte do apoio, a mobilização perdeu força e o exército do czar conseguiu reprimir as rebeliões.

Assim, não houve os avanços pretendidos pelos revolucionários, A revolução não se consolidou, mas houveram avanços políticos e sociais.

As organizações políticas passaram a ser aceitas na Rússia e bolcheviques habituados à clandestinidade perdem força dentro do cenário político institucionalizado.

A classe operária passou a se organizar de forma autônoma, elegendo os próprios representantes nos concelhos das fábricas e dos bairros, esses grupos foram chamados de soviets.

Os mencheviques que se aproximaram primeiro dos soviets e surge a figura de Leon Trótski, presidente dos soviets. Enquanto isso, os bolcheviques buscavam sua readaptação ao novo contexto político, mantendo parte das organizações clandestinas aliadas a uma forte propaganda.

Os novos adeptos ignoravam as antigas divergências entre os grupos, o que culminou no surgimento de diversos grupos de bolcheviques e mencheviques reunificados na Rússia, de forma independente aos comitês centrais. Assim, o comitê central decidiu por oficializar essa reunificação.

As revoluções de 1917 e a vitória do bolchevismo

Em fevereiro de 1917, deu-se início à Revolução Russa.

Após a deposição do governo czarista de Nicolau II, estabeleceu-se uma assembleia constituinte e um governo provisório liderado pelos mencheviques, que buscava a conciliação dos revolucionários com grupos políticos do período anterior.

Deu-se início a um período de crise, agravado pela 1ª Guerra Mundial, que revoltou os operários e a população do campo. Em outubro, ocorre a insurreição bolchevique e a tomada do poder, a chamada Revolução de Outubro.

Foi deflagrada uma guerra civil, mas com a formação do exército bolchevique, também conhecido como Exército Vermelho, o governo revolucionário é mantido.

Finalmente, em 1922, consolidou-se o poder bolchevique e instituiu-se um novo Estado. A União das Repúblicas Socialistas Soviéticas era governada comandada pelo Partido Comunista (Bolchevique) da União Soviética (PCUS).

Em 1952, o termo "bolchevique" foi retirado do nome oficial do PCUS. O partido governou a URSS até sua dissolução em 1991. Alguns membros dos mencheviques tiveram uma relativa participação nos primeiros anos do novo governo após a revolução, mas o partido foi extinto ainda em 1921.

Veja também as diferenças entre:

Pedro Menezes
Pedro Menezes
Licenciado em Filosofia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e Mestrando em Ciências da Educação pela Universidade do Porto (FPCEUP).