Criacionismo e Evolucionismo


As duas teorias buscam explicar a criação e evolução da vida e do universo. 

O Criacionismo se baseia na Bíblia e defende que a vida e o universo foram criados por um ser sobrenatural, um Deus onipotente e benevolente. Já o evolucionismo se baseia no conceito de seleção natural de Charles Darwin, onde os seres vivos foram evoluindo e se adaptando até chegar ao ponto que estão hoje.

O evolucionismo afirma que a vida na Terra evoluiu de um ancestral comum universal há cerca de 3,8 bilhões de anos. É uma "teoria" no sentido científico da palavra, o que significa que é apoiada por evidências e aceita como fato pela comunidade científica. Já a ideia do criacionismo é baseada na fé, e não em evidências.  

Criacionismo 

Evolucionismo

DefiniçãoO criacionismo é a crença de que a vida, a Terra e o universo são a criação de um ser sobrenatural chamado Deus. 

O evolucionismo prega que a evolução é o processo pelo qual diferentes tipos de organismos vivos se desenvolveram e se diversificaram durante a história da Terra.

TeoriaReligiosa.Científica.
Principal baseA Bíblia, especificamente o livro do Gênesis.Livro "A Origem das Espécies”, de Charles Darwin.
EvoluçãoSerem foram criados do modo que são hoje.Seres evoluíram até o estágio que estão hoje.
Possui provasNão.Sim.

Principais afirmações do Criacionismo

Criacionismo

Algumas das afirmações mais aceitas pelos adeptos do criacionismo são:

  • A existência de um Deus criador;
  • O mundo foi feito em um período de seis dias;
  • O mundo tem apenas alguns milhares de anos;
  • Deus interveio especialmente para criar as formas de vida na terra, sem usar formas de vida anteriores e extintas para fazê-lo;
  • O ponto de vista das ciências naturais sobre a idade do mundo e a origem das formas de vida atuais está equivocado.

Principais afirmações da Evolução Teística

As pessoas com maior probabilidade de se identificarem como “evolucionistas teístas”, geralmente concordam com as seguintes afirmações:

  • Existe um Deus criador;
  • O mundo desenvolveu-se durante um período de tempo mais longo do que seis dias;
  • O mundo tem muito mais que alguns milhares de anos;
  • Deus usou formas de vida anteriores e extintas para produzir as formas de vida que vemos hoje;
  • O ponto de vista majoritário nas ciências naturais sobre a idade do mundo e a origem das formas de vida atuais está correto.

Principais afirmações do Evolucionismo Ateísta

As pessoas mais propensas a se identificarem como "evolucionistas ateístas" normalmente parecem endossar algumas ou todas as seguintes afirmações:

  • Não há Deus ou, pelo menos, não temos razões para acreditar que existe um Deus;
  • O mundo desenvolveu-se durante um período de tempo mais longo do que seis dias;
  • O mundo tem cerca de 4,5 bilhões de anos;
  • As formas de vida que vemos hoje surgiram de formas de vida anteriores e extintas.
  • O ponto de vista majoritário nas ciências naturais sobre a idade do mundo e a origem das formas de vida atuais está correto.

Como ocorre a evolução das espécies

A teoria evolucionista sustenta que os organismos vivos que não se adaptam ao meio ambiente não conseguem sobreviver.

Variações genéticas são introduzidas em espécies através de mutações aleatórias de DNA, que se manifestam nas características físicas dos organismos vivos. Então, os organismos cujas características são mais adequadas para o ambiente sobrevivem e se reproduzem, passando seu DNA mutante para as gerações subsequentes.

À medida que os organismos sobreviventes se reproduzem e esse processo se repete ao longo de várias gerações, a espécie evolui.

Tipos de evolução do evolucionismo

A evolução divergente ocorre quando uma espécie se separa em duas espécies. Por exemplo, elas podem ter se separado geograficamente e se adaptado de forma diferente para sobreviver aos ambientes.

A evolução paralela, por outro lado, ocorre quando duas ou mais espécies desenvolvem traços similares, como o surgimento de asas, para sobreviver no mesmo ambiente.

Por último, a evolução convergente ocorre quando duas ou mais espécies desenvolvem traços semelhantes, mas em ambiente s diferentes.

A evolução pelo Criacionismo

Existem muitas versões da teoria criacionista. O Criacionismo da Terra Jovem e o Criacionismo da Lacuna acreditam que a humanidade foi criada por Deus, que já os fez do modo como são hoje. 

Por outro lado, o criacionismo progressista acredita que a humanidade foi criada diretamente por Deus, com base na anatomia dos primatas. Enquanto isso, o design inteligente e a evolução teísta incluem uma variedade de crenças baseadas na ideia de que a intervenção divina levou a algo que seria a evolução das espécies.

Evidências o evolucionismo

A evolução baseia-se em evidências de registros fósseis, nas semelhanças entre formas de vida, na distribuição geográfica das espécies e nas alterações registradas nas espécies.

Desde a década de 1920, por exemplo, foram encontrados centenas de fósseis de criaturas nos estágios intermediários entre macacos e humanos. Os registros fósseis em geral sugerem que organismos multicelulares só apareceram após os unicelulares, e que animais complexos foram precedidos por outros mais simples.

Evidências do criacionismo

O criacionismo é baseado em uma interpretação literal do Livro do Gênesis na Bíblia. Os defensores dessa teoria defendem que ou Deus criou as condições para a evolução ou os padrões que ocorrem na natureza são evidência de que o universo não é aleatório, mas criado por um ser inteligente.

Crítica às teorias

Para ser denominado científico, um método de investigação deve ser baseado em evidências empíricas e mensuráveis, sujeitas a princípios específicos de raciocínio. Isso significa que as hipóteses científicas devem ser testáveis.

Críticos do criacionismo argumentam que essa teoria não é testável, ou seja, a existência de Deus não pode ser provada. Embora a ciência não possa testar questões de fé, estudos científicos refutaram muitos elementos do criacionismo, incluindo a idade da Terra, sua história geológica e as relações dos organismos vivos.

Antropologia, geologia e ciência planetária revelam que a Terra tem aproximadamente 4,5 bilhões de anos, contestando as reivindicações criacionistas de que a Terra foi criada há 6000 anos.

Muitos criacionistas argumentam que a evolução é uma “teoria” e não um fato e, portanto, deve ser ensinada como tal. No entanto, isso se baseia em um entendimento equivocado do uso do termo “teoria”. Cientificamente, teoria não significa “possibilidade”, mas sim “um princípio geral cientificamente aceitável para explicar fenômenos”.

Os criacionistas também afirmam que explicações sobrenaturais não devem ser excluídas, e acusam a evolução de ser também uma religião, não uma ciência.

Veja também a diferença entre Ateu e Agnóstico.