Ateu e Agnóstico


A principal diferença entre o ateísmo e o agnosticismo é que o ateu não acredita em deuses e negam sua existência, enquanto o agnóstico afirma que não sabemos se deuses existem ou não.

Veja abaixo outras diferenças entre os dois.

AteuAgnóstico
Vida após a morteNão existe, ou não tem certeza.Desconhecida.
CrençaUm ateu acredita que Deus, ou deuses, não existem ("ateísmo positivo") ou não acredita na existência de divindades conhecidas, mas sem afirmar que não exista ("ateísmo negativo").

Um agnóstico acredita que é impossível saber se Deus, ou deuses, existem ("Agnosticismo forte"), ou acredita que a resposta pode ser descoberta, mas atualmente não é conhecida ("Agnosticismo fraco").

Alguns agnósticos acham que a resposta não é importante.

Tipos específicosAteísmo cético, Ateísmo positivo, Ateísmo negativo, Ateísmo implícito, Ateísmo explícito.

Agnosticismo teísta, Agnosticismo ateísta, Agnosticismo empírico, Agnosticismo forte, Agnosticismo fraco, Agnosticismo apático, Ignosticismo, Agnosticismo modelar.

ArgumentoAteus não acreditam em  afirmações da existência de uma divindade. Defendem que o ônus da prova é sobre aqueles que dizem que há um deus.O agnóstico não acredita em afirmações de que a existência de divindades possam ser provadas.
EtimologiaDo grego Ateus, formado com o prefixo de negação ἀ- (a-, "não") + theos (“deus”), ou seja, é a negação de deus.

Derivado da palavra grega Agnostos, formada com o prefixo de negaçao ἀ- (a-, "não") + γιγνώσκω (gnostos, "sei"). Significa o desconhecimento.

Termo criado porReferência de Efésios 2:12 no Novo Testamento. Thomas Henry Huxley.
Exemplos famososChico Buarque,  Drauzio Varella, Friedrich Nietzsche, Oscar NiemeyerCharlie Chaplin, Thomas Jefferson, Carl Sagan.

O que é ser ateu?

O significado de ateu é alguém que não acredita em deuses, não importa quais sejam suas razões ou como eles abordam a questão de saber se existem deuses.

O que é ser agnóstico?

O agnóstico é alguém que afirma o desconhecimento sobre os deuses, e não reivindica saber se existem ou não.

Ou seja, o ateísmo envolve o que uma pessoa acredita ou não, enquanto o agnosticismo envolve o que uma pessoa conhece ou não sabe.

A crença e o conhecimento estão relacionados, porém, são questões diferentes.

Existe ateu agnóstico?

Muitas pessoas têm a impressão equivocada de que o agnosticismo e o ateísmo são mutuamente exclusivos, porém, o “não saber” não exclui necessariamente o “não acredito”.

Um agnóstico pode ser ateísta ou teísta. O ateísta não acredita na existência de um deus e não acredita na prova de sua existência. O teísta admite a possibilidade de existência de um deus, mas não consegue provar sua existência.

Em que os agnósticos e ateus acreditam?

Os ateus não acreditam em deuses ou doutrinas religiosas.

Para eles, não existe vida após a morte, seja positiva ou negativa, ou esta não é possível de ser provada com base em evidências disponíveis.

Ateus acreditam que os seres humanos são responsáveis pelo seu próprio bem-estar (ou destruição), por isso, orações não tem nenhum resultado.

Alguns grupos específicos chegam a ser contra o teísmo, argumentando que a religião tem um efeito negativo sobre a humanidade.

Os agnósticos têm uma relação mais incerta sobre crença, sentindo-se inseguros sobre a afirmação de existência ou inexistência de deuses.

Para alguns agnósticos, é impossível para alguém provar ou refutar a existência de Deus. Enquanto para os agnósticos apáticos, a questão da existência de Deus é irrelevante e sem importância.

Agnósticos e ateus no mundo

Cerca de 16% da população mundial não é afiliada a uma fé religiosa.

Países com grande população não religiosa incluem Suécia, China, República Tcheca, França, Islândia e Austrália. 

Segundo dados do Censo brasileiro de 2010, do IBGE, 8,0% da população declarou-se "sem religião" (15,3 milhões). Dentre elas, cerca de 615 mil se declaram ateias.

Em São Paulo, existe a Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos (ATEA), uma entidade sem fins lucrativos que se dedica a promover o ateísmo, o agnosticismo e a laicidade do Estado. Associação existe desde 2008, e em 2016 já contabilizava mais de 19 mil associados.