Camuflagem e mimetismo


Emerson Machado
Emerson Machado
Jornalista

A camuflagem e o mimetismo são habilidades que certas espécies de animais possuem. A camuflagem é quando o animal se assemelha ao ambiente que o cerca, a fim de se esconder de predadores ou utilizado por predadores para capturar suas presas.

Já o mimetismo ocorre quando uma espécie imita características de outra para confundir seus predadores ou presas.

CamuflagemMimetismo
DefiniçãoHabilidade de um organismo ou objeto de se confundir com o ambiente ao redor.Habilidade de imitar características e/ou comportamento de outra espécie de animal.
TiposCores e formas.

Mimetismo bateriano, peckhamiano, wasmanniano, mülleriano.

Exemplos
  • Camaleão
  • Bicho-pau
  • Urso polar
  • Falsa-coral
  • Algumas borboletas
  • Algumas orquídeas

O que é camuflagem?

A camuflagem é a capacidade de um organismo ou objeto de se assemelhar ao ambiente que os rodeia. Assim, pode ocorrer pela cor ou forma. É de grande utilidade para que presas se protejam de seus predadores, ao se camuflarem para que não sejam vistas.

No entanto, vale destacar que a habilidade de se camuflar resulta da seleção natural. As características da camuflagem reagem diretamente às ameaças que certos organismos encontram na natureza.

Por exemplo, de nada adianta um animal poder mudar de cor da para se misturar ao ambiente se o seu principal predador não for sensível a cores.

O camaleão é capaz de mudar a cor da própria pele para se camuflar e 'desaparecer' no ambiente que o cerca
O camaleão é capaz de mudar a cor da própria pele para se camuflar e "desaparecer" no ambiente

Por isso, a camuflagem é uma reação para ajudar o organismo a se proteger e os traços do predador são de extrema importância para o resultado.

Além da mudança de cores, por efeitos químicos na pele ou troca de pelos, há animais que se camuflam para parecer com objetos que o cercam.

O maior exemplo é o bicho-pau, que tem a coloração amadeirada e um formato de corpo que o fazem parecer galhos de uma árvore.

Exemplos de animais que utilizam a camuflagem

  • Bicho-pau: cor e formato de madeira para se assemelhar a um graveto;
  • Camaleão: muda a cor do corpo conforme o ambiente em que se encontra;
  • Urso polar: reflete a luz e parecem brancos para se confundir com a neve;
  • Raposa do ártico: troca de pelo conforme a estação, sendo mais escura no verão e mais clara no inverno;
  • Esquilo: pelos marrons o ajudam a se camuflar nas cascas de troncos;
  • Polvo: muda de cor para ser confundido com o seu entorno;
  • Tubarões: algumas espécies contam com um tom cinza-azulado para passarem despercebidos conforme a luz reflete da superfície;
  • Golfinhos: contam com um tom cinza-azulado para passarem despercebidos conforme a luz reflete da superfície.

O que é mimetismo?

O mimetismo é a habilidade de alguns organismos em serem confundidos com outros de espécies distintas. Animais com a capacidade são chamados de mímicos.

No geral, um mímico não é uma criatura que conta com mecanismos de defesa poderosos. Portanto, buscam imitar outros animais para que evitem serem devorados por predadores.

Normalmente, um animal que utiliza o mimetismo tem uma versão de cores, texturas, formas e comportamentos de organismos potencialmente perigosos para ludibriar os predadores. Isto a fim de que sobrevivam na natureza.

Um dos maiores exemplos de mimetismo ocorre na chamada falsa-coral. Esta cobra imita o padrão de cores da verdadeira coral, que é extremamente venenosa e pode ser a última tentativa de refeição de um predador.

A falsa-coral possui veneno, mas a falta de fosseta loreal (que detecta variações de temperatura para detectar presas) a impede de utilizá-lo.

Por isso, sua melhor estratégia de sobrevivência é imitar a serpente realmente perigosa. Assim, evita ser devorada por predadores que não correriam o risco de atacar uma coral verdadeira.

A serpente falsa-coral imita a coloração e comportamento da coral verdadeira
A serpente falsa-coral imita a coloração e o comportamento da coral verdadeira

Tipos de mimetismo

Batesiano

É quando o mímico e a espécie que serve de modelo dividem o mesmo espaço geográfico. Por estarem no mesmo lugar, as chances de o predador atacar o animal perigoso são maiores. Isto porque há mais espécimes disponíveis, característica comum no mimetismo batesiano.

Peckhamiano

Nesse tipo de mimetismo, a espécie que irá imitar a outra é justamente o predador. Assim, ele mimetiza traços da presa, a fim de poder se aproximar e ter mais chances de capturá-la. Um verdadeiro “lobo em pelo de cordeiro”.

Wasmanniano

É uma forma de mimetismo entre espécies que não interferem no modo de vida uma da outra. Ou seja, não competem entre si. Assim, possuem diferentes tipos de presas e não afetam negativamente uma à outra.

Mülleriano

No mimetismo Mülleriano, tanto a espécie modelo quanto a imitada possuem mecanismos de defesa diferentes. Ainda assim, uma imita a outra e fazem com o predador não ataque ambas as espécies. É uma forma de garantir a sobrevivência de maneira eficaz e ampla.

Exemplos de animais que utilizam o mimetismo

  • Falsa-coral: mimetiza a coral verdadeira, que é peçonheta e perigosa;
  • Baratas do gênero Prosoplecta: insetos filipinos que imitam joaninhas e besouros tóxicos;
  • Borboleta de Rabo de Andorinha: insetos africanos que imitam borboletas não comestíveis dos gêneros Danaus e Amauris;
  • Borboletas Papilio laglaizei: na Nova Guiné, mimetizam com suas cores as mariposas Alcides agathyrsus, que são tóxicas;
  • Aranhas do gênero Myrmarachne: disfarçam-se de formigas para capturá-las;
  • Orquídeas: muitas plantas desta espécie imitam com suas flores as fêmeas de insetos, a fim de atraí-los para que possa espalhar pólen por seus corpos e os libera para que seja feita a o polinização na natureza.

Portanto, apesar de muitos confundirem camuflagem e mimetismo, em resumo um animal ao se camuflar se confunde com o ambiente que o cerca.

No mimetismo, uma espécie com menos mecanismos de defesa imita outra, que possui características mais perigosas para os predadores. Assim, garantem proteção e mais chances de sobrevivência.

Veja também a diferença entre:

Emerson Machado
Emerson Machado
Escritor e jornalista, muito ligado a literatura e artes em geral. Trabalha com textos informativos e criativos desde que se lembra, tendo publicado seis livros e diversas reportagens, com direito a prêmios e tudo. É apaixonado por ciência e tecnologia e já escreveu para revistas, assessoria, jornal impresso e online. Vive no Porto, Portugal.