Preto, pardo e negro


Pedro Menezes
Revisão por Pedro Menezes • Professor de Filosofia

Preto e pardo são dois dos cinco grupos de cor e raça definidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Isto junto com brancos, amarelos e indígenas.

O termo preto toma como referência a ascendência oriunda de nativos da África. Independentemente de seu território ou construção social, pelo fenótipo manifestado por sua pele de cor escura.

Por pardo, é entendido a pessoa que possui ascendência étnica de mais de um grupo, ou seja, mestiça. Essa miscigenação engloba:

  • Descendentes de negros e brancos
  • Descendentes de negros com indígenas
  • Descendentes de índios com brancos

Além de todas as outras possíveis interações interraciais diretas ou indiretas.

Já o conceito de negro é definido pelo Estatuto da Igualdade Racial como:

O conjunto de pessoas que se autodeclaram pretas e pardas, conforme o quesito cor ou raça usado pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ou que adotam autodefinição análoga.

Há argumentos contrários à classificação de pretos e pardos em um mesmo grupo. Algumas correntes de pesquisa afirmam que pretos sofrem muito mais discriminação. E, segundo a teoria do Colorismo, quanto mais escura a cor da pele de uma pessoa, maior o racismo sofrido em nossa sociedade.

Negros ou Pretos?

A discussão acerca do termo mais correto varia de acordo com a construção de diferentes culturas e o uso da língua.

Entretanto, no Brasil, parece caminhar para um consenso a ideia de que ambos os termos são aceitos. Isto fundamentando-se na escolha e autoidentificação dos indivíduos ou grupos.

Para o IBGE, negro está relacionado à questão racial, enquanto preto tem sua relação exclusivamente na cor da pele.

Origem dos termos preto e pardo e uso no censo brasileiro

O termo pardo tem sua origem junto com a história do Brasil, sendo registrada por Pero Vaz de Caminha em 1500. Em sua carta ao rei de Portugal, ele descrevia os índios como pardos. Já em sua etimologia, a palavra deriva de pardus, que significa "leopardo" em latim.

Já o termo preto era utilizado na primeira metade do século XIX para designar os africanos, enquanto o termo crioulo era usado para os negros nascidos no Brasil. Posteriormente, o termo preto passou a englobar tanto os africanos quanto seus descendentes.

Tanto os termos preto e pardo foram utilizados já no primeiro censo brasileiro, realizado em 1872. No censo de 1890, o termo pardo foi substituído por "mestiço", mas voltou a ser utilizado no censo de 1940 e permanece em uso até hoje.

Quem é considerado preto ou pardo?

Segundo o pesquisador do IPEA Rafael Osório, existem três métodos de identificação racial:

  • Autoatribuição de pertença ou autoidentificação: o próprio sujeito identifica o grupo ao qual se considera membro;
  • Heteroatribuição de pertença ou heteroidentificação: outra pessoa identifica o grupo ao qual o sujeito pertence;
  • Identificação biológica: feita por meio de análise genética.

O sistema classificatório do IBGE utiliza simultaneamente os métodos da autoidentificação e heteroidentificação.

Veja também as diferenças entre:

Pedro Menezes
Revisão por Pedro Menezes
Licenciado em Filosofia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e Mestrando em Ciências da Educação pela Universidade do Porto (FPCEUP).