Racionalismo e empirismo


O racionalismo e o empirismo são escolas de pensamento que buscam explicar a forma como os seres humanos adquirem o conhecimento, porém elas têm filosofias fundamentalmente opostas. Enquanto o racionalismo afirma que a fonte do conhecimento é a razão, o empirismo alega que é a experiência sensorial.

RacionalismoEmpirismo
O que éO racionalismo é uma teoria que se baseia na afirmação de que a razão é a fonte do conhecimento humano.O empirismo é uma teoria baseada na ideia de que a experiência é a fonte do conhecimento.
IntuiçãoAcreditam em intuição.Não acreditam.
Ideias inatasIndivíduos tem conhecimentos inatos.Indivíduos não possuem conhecimentos inatos.
De onde vem o conhecimentoO conhecimento é baseado no uso da razão e da lógica.O conhecimento é baseado na experiência e experimentação. 
Princípios-chaveDedução, conhecimento inato e razão.Indução e experiências sensoriais.
Teóricos

Platão, Descartes, Leibniz e Noam Chomsky.

Locke, Berkeley e Hume.

A disputa entre racionalismo e empirismo ocorre na epistemologia, o ramo da filosofia dedicado ao estudo da natureza, fontes e limites do conhecimento. 

Enquanto os racionalistas afirmam que nosso conhecimento é adquirido pela razão e conhecimentos inatos, os empiristas afirmam que a fonte de todo o nosso conhecimentos é a experiência sensorial.

O que é racionalismo?

O racionalismo acredita que existe um conhecimento inato, e que podemos chegar à verdade apenas pelo exercício da nossa razão, antes mesmo da experiência sensorial.

Um exemplo disso seria a matemática, onde não precisamos confiar em nossos sentidos para estabelecer que 2 + 2 = 4. O conhecimento inato seria uma forma superior de conhecimento, que nos dá acesso a uma verdade mais substancial, que transcende o mundo cotidiano.

O racionalismo acredita em três caminhos por onde os humanos podem chegar ao conhecimento:

  • Dedução - A dedução é a aplicação de princípios concretos para tirar uma conclusão. Os princípios matemáticos são um exemplo de dedução, como por exemplo, encontrar a metragem quadrada de uma sala sempre é feito do mesmo modo, multiplicando a largura e o comprimento.
  • Ideias inatas - É o conceito de que nascemos com verdades fundamentais ou experiências que trazemos de outras vidas. Esse pensamento pode explicar por que algumas pessoas possuem muito mais talento em algumas coisas do que outras, mesmo que elas tenham recebido exatamente o mesmo ensinamento sobre o tema.
  • Razão - A razão usa a lógica para determinar uma conclusão, podendo utilizar vários métodos para isso, pois a ênfase é encontrar a verdade, e não o método usado.

O que é empirismo?

O empirismo é uma escola de filosofia que afirma que a realidade e o conhecimento são derivados da experiência sensorial. Como filosofia, é aliada pela metodologia das ciências naturais, e o único tipo de conhecimento que importa para o empirista é aquele que pode ser formalmente medido ou verificado.

O empirismo trabalha os determinados princípios-chave para explicar de onde vem o conhecimento humano: 

Experiência sensorial

Os empiristas acreditam que nossas ideias vem unicamente da experiência sensorial. Essas ideias podem ser simples ou complexas, e fazem uso dos nossos cinco sentidos: tato, paladar, olfato, audição e visão.

Ideias simples são aquelas que usam apenas um dos cinco sentidos para estabelecer a percepção, como por exemplo, saber que o açúcar é doce. Já as ideias complexas usam mais de um dos cinco sentidos para obter uma percepção mais detalhada, como saber que o açúcar, além de doce, é branco e granulado.

Indução

A indução é o princípio mais crucial para o empirismo, semelhante à razão para os racionalistas. A indução é a crença de que poucas coisas podem ser conclusivas, especialmente sem experiência.

Se uma árvore cai na floresta e ninguém está perto para ouvi-la, sua queda produzirá som? Este é um exemplo da perspectiva empirista da indução. Como não há ninguém na floresta para escutar o som da árvore caindo, então não se pode determinar se é verdade que a queda fez algum barulho.

Veja as diferenças entre Conhecimento empírico, científico, filosófico e teológico