Rottweiler alemão e americano


Emerson Machado
Emerson Machado
Jornalista

Pode-se dizer que a principal diferença entre um rottweiler alemão e um americano seria o tamanho. Nos EUA, o cão é maior e mais robusto que o original alemão, que é menor e seria menos ágil.

No entanto, a distinção entre raças de rottweiler envolve controvérsia. Muitos acreditam que não há variações entre um cão e outro além da localização em que nascem.

Rottweiler alemãoRottweiler americano
AlturaEntre 61 e 68 centímetros para os machos; entre 52 e 62 centímetros para as fêmeas.Tem uma média de 69 centímetros, mas há registros de espécimes ainda maiores.
PesoPeso ideal de 50 quilos para os machos e 43 quilos para as fêmeas.Pode chegar aos 80 quilos.
Estrutura corporalRobusto e musculoso, mas compacto. Focinho mais curto e cauda longa.Robusto e com músculos proeminentes. Focinho largo e cauda curta, resultado de mutilação, prática proibida na Alemanha e diversos países.

Rottweiler puro

A raça do cão rottweiler começou a ser aperfeiçoada no século 19, passando por grandes transformações até chegar à variante que se conhece hoje em dia.

Era pensado para ser um cão pastor ou de proteção, sendo conhecidos por suas mandíbulas ferozes, corpos musculosos, velocidade e agilidade. Isto o tornou famoso durante a 2ª Guerra Mundial, quando eram utilizados como cães policiais.

Ainda assim, são cães que criam laços muito fortes com os donos e membros da família, sendo de fácil adestramento. Mas vale citar que, como todo cão, o treinamento é fator crucial para que um animal deste porte se torne violento ou não.

No entanto, de modo geral, as características entre os espécimes da raça se baseiam na pelagem curta e negra. Esta conta com leves tons de marrom avermelhado em algumas partes do corpo.

Mas a controvérsia começa aqui: as diferenças entre um rottweiler alemão são extremamente sutis se comparadas ao seu homônimo americano.

Características do rottweiler alemão

Na Alemanha, existe uma associação que atesta a pureza de um rottweiler. Chamada de Allgemeiner Deutscher Rottweiler Klub (ADRK), algo como Clube Alemão Geral do Rottweiler em português, fundado em 1921 para atestar se um cão desta raça é realmente puro.

Para garantir a pureza da raça alemã, a associação só permite o cruzamento entre rottweilers em que a árvore genealógica do canino tenha sido estudada em detalhes. Isto evitaria que as características do animal passassem por modificações com o passar de gerações. É uma forma bastante restrita de controle.

De maneira geral, as características principais de um rottweiler alemão são:

  • Altura: entre 61 e 68 centímetros para os machos; entre 52 e 62 para as fêmeas.
  • Peso: machos teriam um peso ideal de 50 quilos; fêmeas devem pesar 43 quilos.
  • Corpo: robusto e musculoso, mas compacto.

Outra característica importante dos cães alemães da raça são a cauda longa e o focinho mais curto, que se distingue da variante americana.

Um rottweiler alemão

Portanto, um rottweiler só é considerado um alemão “puro” se estiver dentro destes padrões delimitados pela ADKR. Porém, os espécimes americanos superariam o tamanho dos alemães, o que já inicia a controvérsia sobre a raça.

Características do rottweiler americano

Nos Estados Unidos, não há uma associação que estude em pormenor a árvore genealógica do rottweiler no país. Por isso, não há garantias de que o cão não tenha passado por cruzamento com outras espécies.

No entanto, a maior controvérsia é a de que não existiria uma variante americana do animal. Isto porque seriam da mesma família. Mas algumas características são distintas entre os animais originados na Alemanha e aqueles nascidos na América.

Além de superar em tamanho o rottweiler alemão, chegando aos 69 centímetros de altura, o rottweiler americano também poderia atingir 80 quilos. É um peso muito acima do ideal para o padrão alemão, que não passaria de 50.

Além disso, os focinhos são mais largos e as caudas curtas, que, no entanto, seriam resultado de mutilação. A prática é proibida na Alemanha e em diversos países.

Há quem diga que o porte maior do espécime americano se dá através da seleção artificial dos criadores.

Os criadores americanos escolheriam os maiores exemplares da espécie para se reproduzirem entre si. Isto daria origem a animais com quase o dobro do porte do homônimo alemão.

Um rottweiler americano

De maneira geral, um rottweiler americano teria as seguintes características:

  • Altura: maior que o alemão, que não ultrapassaria os 68 centímetros. A média de altura para um rottweiler americano é 69 centímetros, podendo ser ainda maior.
  • Peso: os rottweilers americanos podem chegar a 80 quilos, ou seja, 30 a mais que o espécime alemão.
  • Corpo: robusto e com músculos proeminentes.

Existem mesmo duas raças de rottweiler?

Muitos especialistas alegam que a única diferença entre um rottweiler alemão e um americano é o local de nascimento. No entanto, na Alemanha, há a ADKR que estuda cuidadosamente a árvore genealógica da espécie, evitando variação nas gerações.

Como nos Estados Unidos não é feito um controle parecido, pode ter havido cruzamento entre espécimes distintos. Isto para chegar ao rottweiler que se tem no continente americano hoje em dia.

Logo, com exceção do tamanho, peso e o porte do corpo, é difícil concluir que existam duas espécies distintas de rottweiler.

Talvez, as diferenças tenham base na forma de criação destes animais, uma vez que os cães americanos podem participar de competições e precisam estar mais preparados para tais eventos. Por isso, podem ser mais ágeis e agressivos.

Porém, a variante alemã, apesar de muito independente e dócil, conta com um instinto protetor que pode torná-lo agressivo se necessário.

Por isso, o treinamento e a seleção de cães para a reprodução podem ter sido o fator mais importante. Isto no que diz respeito às diferenças sutis que vemos entre o rottweiler alemão e o americano.

Veja também a diferença entre:

Emerson Machado
Emerson Machado
Escritor e jornalista, muito ligado a literatura e artes em geral. Trabalha com textos informativos e criativos desde que se lembra, tendo publicado seis livros e diversas reportagens, com direito a prêmios e tudo. É apaixonado por ciência e tecnologia e já escreveu para revistas, assessoria, jornal impresso e online. Vive no Porto, Portugal.